O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   12 de Dezembro de 2019
Publicidade

Governo paga três folhas em 30 dias e injeta R$ 1,4 bilhão na economia de MS

Durante entrevista à imprensa, Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou a importância do anúncio do calendário.

02/12/2019 - 11h37

Campo Grande

Reinaldo durante entrevista à imprensa (Foto: Chico Ribeiro)

Mais de R$ 1,4 bilhão será injetado na economia de Mato Grosso do Sul com o pagamento das três últimas folhas salariais do ano do funcionalismo público estadual, informou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB )nesta segunda-feira (2). 


Em 30 dias serão depositados os salários de servidores ativos e inativos de novembro, dezembro e 13°.


Os salários de novembro serão enviados ao banco nesta terça-feira, 3 de dezembro, e estarão disponíveis para saque no dia 4. Já o 13° pagamento será depositado no dia 18 de dezembro, com disponibilidade para saque no dia 19. Por último, os salários de dezembro serão depositados em 3 de janeiro e estarão disponíveis nas contas no dia seguinte, 4 de janeiro.


Reinaldo Azambuja destacou a importância do anúncio do calendário. “Dá previsibilidade e organização para o servidor, que pode se planejar com os gastos de fim de ano”, afirmou. Ele ainda pontuou que o Governo de MS chega ao fim de 2019 cumprindo obrigações básicas, “diferente de 17 estados que enfrentam extremas dificuldades com o pagamento de salários”.


Tradicionalmente, o cronograma de pagamento do funcionalismo público estadual movimenta o comércio e o setor de serviços no fim de cada ano. Em 2019, por exemplo, o valor a ser pago pelo Estado, R$ 1,4 bilhão, supera em até três vezes o montante de R$ 537 milhões liberados das contas ativas e inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).


Desde que assumiu a gestão do Estado, em 2015, Reinaldo Azambuja tem cumprido compromisso de pagar o funcionalismo público até o 5° útil de cada mês. Também acompanharam o anúncio do calendário dos salários o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, e o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado Paulo Corrêa.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS