O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   18 de Setembro de 2020
Publicidade

Indústria de MS registra alta de 26% na geração de emprego no 1º semestre

Levantamento foi feito pelo Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul).

05/08/2020 - 09h01

Campo rande

Indústria de MS registra alta de 26% na geração de emprego (Foto: Divulgação)

A pandemia mundial do Covid-19 (novo coronavírus) não impediu que o setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, fechasse o 1º semestre de 2020 com crescimento de 26% na comparação com o mesmo período de 2019, conforme aponta levantamento realizado pelo Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul).


De janeiro a junho de 2020, as indústrias sul-mato-grossenses fecharam com saldo positivo de 2.484 vagas, enquanto no mesmo período de 2019 o saldo positivo foi de 1.970 vagas. 


Apenas em junho, o setor foi responsável pela abertura de 754 postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul, resultado de 4.763 contratações e 4.009 demissões.


Segundo análise do coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, as indústrias foram o setor econômico com o melhor desempenho para o mês em Mato Grosso do Sul. 


“Com o bom desempenho, as indústrias estaduais garantiram, desse modo, a condição de maiores geradores de postos formais de trabalho em Mato Grosso do Sul até o momento”, informou.


Força industrial


O economista ressalta que o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou o 1º semestre de 2020 com um total de 127.499 trabalhadores empregados. 


“Esse montante indica, até aqui, um aumento de 2% em relação ao fechamento do ano anterior, quando ficou em 125.015 funcionários. Dessa forma, o setor responde por 19,4% de todo o emprego formal existente no Estado, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 192.460 trabalhadores e tem participação de 29,3%, e administração pública, com 142.285 empregados e participação de 21,7%”, detalhou.


Ainda conforme o economista, no mês de junho, as atividades industriais que mais abriram vagas foram preparação de subprodutos do abate (+374), abate de aves (+359), abate de bovinos (+213), abate de suínos (+147) e fabricação de açúcar (+62). Já no período de janeiro a junho as atividades industriais que mais abriram vagas foram abate de aves (+759), abate de suínos (+730), fabricação de celulose e de papel (+710), fabricação de açúcar (+598) e construção (+586).


Em relação aos municípios, constatou-se que em 48 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a junho de 2020, proporcionando a abertura de 4.115 vagas. 


Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 100 vagas, destacaram-se Dourados (+722), Naviraí (+455), Rio Brilhante (+365), Sidrolândia (+267), São Gabriel do Oeste (+238), Caarapó (+236), Fátima do Sul (+202), Brasilândia (+184), Itaquiraí (+176), Água Clara (+162), Angélica (+125) e Nova Andradina (+100).

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS