O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   22 de Novembro de 2019
Publicidade

Ministro Guedes finaliza medidas para o 'pós-Previdência'

A ideia do ministro é enviar ao Congresso, ainda em outubro, um pacote com novas medidas econômicas

03/10/2019 - 08h17

De Brasília 

O ministro Paulo Guedes (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, passou os últimos dias – incluindo o último final de semana – debruçado em números e refazendo contas com sua equipe para fechar o que vem sendo chamado internamente de agenda de modernização e transformação do Estado.


A ideia do ministro, segundo o blog apurou, é enviar ao Congresso, ainda em outubro, um pacote com novas medidas econômicas – ou parte delas – que visam, ao fim, a retomada da geração de empregos no país.


No diagnóstico de Guedes, o problema principal a ser atacado é o gasto público, por isso a urgência em concluir a reforma da Previdência. Mas, passado este primeiro passo, a agenda de novas medidas do governo inclui uma costura pelo pacto federativo, o envio da primeira fase da reforma tributária, as privatizações e a modernização do Estado, que será abordada na reforma administrativa.


Os senadores concluíram o primeiro turno da votação da reforma da Previdência nesta quarta-feira (2). A equipe de Guedes se diz frustrada com o atraso da votação e a perda de R$ 76,4 bilhões de economia com aprovação de uma mudança no abono salarial. 


A conclusão da votação da reforma da Previdência poderá ficar para a segunda quinzena de outubro, segundo o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).


Guedes já trabalhava com o avanço em votações no Congresso de outras pautas ainda neste ano, por exemplo, o pacto federativo, que prevê repasse de mais recursos a estados e municípios – uma demanda de políticos.


O ministro tem sido cobrado por parlamentares, e pelo próprio Palácio do Planalto, por medidas que permitam investimentos, e não apenas que fique "refém das reformas". Motivo: a proximidade com as eleições.


Reforma tributária


Guedes, que não faz articulação política, mas se reúne com parlamentares para costurar os projetos da área econômica que precisam passar pelo aval do Congresso, conversou no final de semana com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).


O ministro falou a respeito das medidas que o Ministério da Economia prepara focando no pacto federativo, a reforma tributária e a reforma administrativa. 


Guedes disse que estava acertando detalhes para enviar ao Congresso, nas próximas duas semanas, a proposta do Executivo de reforma tributária.

Para acompanhar de perto e acelerar a discussão da reforma tributária, Guedes presidirá um conselho político tributário, criado por meio de uma portaria.


O ministro vai fechar um acordo com Maia e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), em torno da agenda desta reforma, para acelerar a tramitação do projeto no Congresso já que existem dois textos em discussão, um na Câmara e outro no Senado. O texto do Executivo ainda está em revisão.


Pacto federativo


Na quarta-feira (2), como o blog mostrou, Guedes pediu à sua equipe que refizesse contas para o pacto federativo, após a derrota na Previdência que tirou R$ 76 bilhões de economia do texto.


O ministro já estuda desidratar o projeto, pois, como disse um auxiliar do ministro à reportagem, "não há mágica, há matemática fiscal".


Nas palavras de um integrante da equipe econômica, "cada bilhão a menos na Previdência tem de tirar um bilhão do pacto federativo". Com G1.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS