O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   22 de Outubro de 2020
Publicidade

Bolsonaro acusa Globo e clã Marinho de corrupção bilionária

Presidente usa denúncia feita por sua aliada RecordTV para atacar o canal inimigo

17/09/2020 - 16h02

De Brasília 

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)

A guerra continua. Na manhã desta quinta-feira (17), Jair Bolsonaro disparou mais um tiro virtual contra seu maior adversário na grande mídia, a Globo. O presidente postou em seu perfil no Twitter o vídeo de uma matéria exibida ontem à noite no Jornal da Record e escreveu duas frases provocativas: “Os esquemas bilionários da Globo”, “Corrupção para valer é com a família Marinho”.

“Confissões inéditas do ex-governador do Rio, Sergio Cabral, contadas à Polícia Federal, revelam que o Grupo Globo sabia do esquema criminoso de compra de votos envolvendo o Estado e o Comitê Olímpico Internacional para a escolha do Rio de Janeiro como sede dos Jogos de 2016”, anunciou a âncora Christina Lemos.


O outro apresentador, Luiz Fara Monteiro, continuou: “Se aproveitando da relação próxima com Sergio Cabral, os executivos da Globo fizeram um pacto: assegurar a qualquer custo a compra exclusiva dos direitos da Olimpíada. O medo era perder, mais uma vez, o direito de transmissão para a concorrência”. Em 2012, a exibição dos Jogos de Londres foi exclusiva da RecordTV.


A reportagem apurada por Tony Chastinet, Adriana Cruz e Thiago Samora sugeriu que o clã Marinho, dono da Globo, se beneficiou das negociatas da organização criminosa comandada por Sergio Cabral. No ar, o repórter Rael Policarpo disse que o ex-governador prometeu entregar provas contra a família mais poderosa da comunicação no Brasil.


De acordo com a RecordTV, João Roberto Marinho foi informado por Cabral do esquema de “cartas marcadas” que garantiria o Rio como sede da Olimpíada de 2016. A partir disso, a Globo teria aumento esforços para conseguir o direito de transmissão exclusiva no País.


A matéria foi além. “Sergio Cabral e Nuzman (Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos do Rio) teriam trabalhado para convencer o Comitê Olímpico Internacional da importância de garantir a exclusividade do evento ao Grupo Globo nos canais fechados”, narrou o repórter.

“Onde tem Globo e tem esporte existem indícios de corrupção”, afirmou Policarpo. 


A matéria de 7 minutos disse ainda que “a emissora teria garantido o monopólio nas transmissões dos jogos da Copa do Mundo à base de propina”. A RecordTV garantiu que os Jogos do Rio não deixaram legado à cidade. Sob a imagem da logomarca da Globo, o repórter concluiu: “Um evento que só fez enriquecer os figurões do jogo sujo dos negócios”.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS