O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   22 de Novembro de 2019
Publicidade

Comando nacional oficializa comissão provisória do PP em MS

Os deputados estaduais Evander Vendramini e Gerson Claro assumem a presidência e a vice-presidência do partido no Estado.

20/09/2019 - 16h38

Campo Grande

Cazuza, Gerson Claro e Evander Vendramini em visita a Câmara (Foto: Divulgação)

O deputado estadual Gerson Claro assumiu oficialmente nesta sexta-feira (20) a vice-presidência do PP em Mato Grosso do Sul. A certidão de composição da comissão provisória foi emitida hoje pela Justiça eleitoral, com validade até março do próximo ano.


A sigla terá o deputado estadual Evander Vendramini como presidente, o vereador de Sidrolândia Kennedi Mitrioni Forgiarini como secretário e Donizete Silva como tesoureiro geral.


A decisão de trocar o comando partidário se deu durante recente reunião entre o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PP-PI), e os principais expoentes do partido no Estado – Gerson Claro, Vendramini e o vereador Cazuza, de Campo Grande.


Também participaram do encontro, em Brasília, o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), tesoureiro, e o secretário-geral do diretório nacional, Aldo Rosa.


Durante a reunião, os dirigentes progressistas discutiram o futuro do partido no Estado com vistas às próximas eleições municipais.


A ideia é lançar candidatura própria à sucessão do prefeito da Capital, Marquinhos Trad (PSD), além de disputar prefeituras em cidades consideradas estratégicas no interior do Estado.


A legenda, que possui a terceira maior bancada na Câmara dos Deputados, está buscando ampliação de suas bases eleitorais em Mato Grosso do Sul, com vistas ao pleito municipal de 2020.


Conforme Gerson Claro, o PP quer ser um dos protagonistas nos entendimentos políticos com o objetivo de definir chapas competitivas tanto em Campo Grande quanto nos principais municípios do interior.


O desempenho da sigla no próximo pleito eleitoral vai dar o tom também para a disputa de 2022, quando serão eleitos representantes para a Assembleia Legislativa, Câmara e Senado, além do governo do Estado e presidência da República.


“A nacional já estabeleceu como premissa que o novo diretório estadual tem que buscar disputar eleição na Capital e em grande parte dos municípios, visando também o crescimento da legenda. Hoje o PP é um partido congressualista, com representação na maioria dos estados. É a terceira maior bancada do Congresso. Então também faz parte do projeto fazer deputados federais e senador aqui em Mato Grosso do Sul”, destacou o parlamentar.


COMPOSIÇÃO 


Sete suplentes integram a executiva do PP no Estado: Adão Cavaglieri, Adriana Lúcia Corrêa, Duty Jesus Paiva, Flávio Pinheiro dos Santos, Melquisedeque Pereira, Mikell Martins e Victor Manuel Almada. 


Também são membros do partido: Adair da Mata, Alcides Bernal, Derley Oliveira, Dharleng Campos, Douglas Gomes, Edécio Júnior, Esacheu Nascimento, Guilherme Augusto dos Santos, Ivandro Fonseca, José Robson Almeida, Lucilo Vançuela, Rosmar Alves, Salatiel Costa, Sérgio Alexandre da Silva, Ulisses Duarte, Valdir de Oliveira e Wilton Acosta.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS