O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   07 de Agosto de 2020
Publicidade

Gerson diz que reforma é necessária, embora seja considerada antipopulista

Relator da matéria na CCJ, deputado deve apresentar seu relatório na tarde desta segunda-feira.

09/12/2019 - 10h36

Willams Araújo

Gerson Claro durante entrevista à FM Capital (Foto: Reprodução/FM Capital)

Durante entrevista ao Programa Tribuna Livre, da FM Capital, na manhã desta segunda-feira (9), o deputado estadual Gerson Claro (PP) disse que a proposta de reforma previdenciária em Mato Grosso do Sul é necessária, embora seja considerada antipopulista.


As alterações no texto da Constituição Estadual foram propostas e encaminhadas à Assembleia Legislativa pelo governador Reinaldo Azambuja (PP) no dia 25 de novembro.


A projeção econômica do governo do Estado é de R$ 10,6 bilhões em 20 anos – mesmo valor da receita corrente líquida de 2019.


Relator da matéria na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), Gerson Claro deve apresentar seu relatório na tarde desta segunda durante reunião do colegiado, segundo adiantou o parlamentar progressista.


Ele afirmou que outros estados da federação também estão nesse processo ou já concluíram suas reformas. 


“No levantamento, a arrecadação da previdência tem que se auto sustentar e a receita forma um Fundo para a sua aposentadoria”, colocou.


Vale destacar que está em tramitação na Câmara dos Deputados a PEC (Proposta de Emenda à Constituição para estados e municípios, chamada de PEC Paralela.


Ainda vista com receio e resistência por servidores, o deputado ressaltou que “Inconstitucional é não fazer a reforma porque tira dinheiro de outro lugar para cobrir a Previdência”. 


A aprovação da PEC se iguala as regras previdenciárias dos servidores públicos estaduais às normas federais.


Gerson Claro ainda explicou que as pessoas que têm direito adquirido irão se aposentar normalmente e quem tem cargo acumulável terá certidão para cada função, o que hoje, nas palavras do deputado, não acontece no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).


Ainda conforme Gerson Claro “tem muita coisa que virou mito”, complementando que com o texto há “poucas exceções e muitos avanços”. Com informações do portal Página Brazil.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS