O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   18 de Maio de 2024
Publicidade

Nova pesquisa aponta 'ducha gelada' na popularidade de Lula

Enquanto Lula chafurda na desaprovação, governadores de SP, Minas, Paraná e Goiás têm altos níveis de aprovação, segundo pesquisa Quaest

12/04/2024 - 12h40

De Brasília 

Presidente Lula (PT) (Foto: Divulgação )

A pesquisa Quaest divulgada nesta sexta-feira (12) é outra ducha de água gelada na cabeça do presidente do governo comunista liderado pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva. 


Em São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Goiás, estados nos quais a sondagem se concentrou, ou a desaprovação ao governo federal é bem maior do que a aprovação, caso do Paraná, ou ambas estão empatadas dentro da margem de erro, casos de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, mas com viés negativo.


No Brasil, em geral, segundo a pesquisa Quaest, a aprovação ao governo Lula é de 51% contra 46% de desaprovação. Quando se leva em conta a margem, o quadro não fica longe de um empate.


Enquanto Lula chafurda na desaprovação, os governadores dos quatro estados, todos do espectro bolsonarista, nadam de braçada em piscina quente.


O governo de Tarcísio de Freitas, em São Paulo, é aprovado por 62% dos entrevistados, mesma porcentagem obtida pelo governo de Romeu Zema, em Minas Gerais.


No Paraná, o governo de Ratinho Jr. tem aprovação de 79%, ao passo que, em Goiás, o de Ronaldo Caiado chega a 86%.


A maioria esmagadora dos entrevistados acha que o seu estado está em melhor situação do que a dos outras unidades da federação.


Os números são explicáveis: os quatro governadores governam, enquanto Lula não governa, só faz comício. Minto: faz comício, insiste em atrapalhar a vida do conselho de administração e dos acionistas da Petrobras e fala bobagem quando banca ser grande líder internacional.


No máximo, o presidente oferece um presente de três refeições diárias, a partir de um passado que não passa e sem apontar um futuro promissor.


Como Lula não governa, ele tem de apelar para a propaganda, além de dar broncas nos seus ministros, como se ele não tivesse nada a ver com eles.


Na semana que vem, por exemplo, a comunicação governamental vai lançar a campanha “Fé no Brasil” para tentar atrair a simpatia dos evangélicos. Se engane que a oposição gosta, Lula. (Com informações da Metrópoles).

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online