O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Abril de 2024
Publicidade

Produção da indústria brasileira cai 0,3%, revela o IBGE

Com isso, nos dois primeiros meses do ano o setor acumula perdas de 1,8%, informou nesta quarta-feira o IBGE 

03/04/2024 - 10h41

São Paulo 

Com CNN

Produção industrial (Foto: cookie_studio/Freepik)

A indústria no Brasil frustrou as expectativas e registrou retração de 0,3% em fevereiro, marcando o segundo mês seguido no vermelho.


Com isso, nos dois primeiros meses do ano o setor acumula perdas de 1,8%, informou nesta quarta-feira o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).


Ainda fica 1,1% abaixo do patamar pré-pandemia, de fevereiro de 2020, e 17,7% abaixo do nível recorde da série, alcançado em maio de 2011.


Na comparação o mesmo mês do ano anterior, a produção teve avanço de 5,0%, sétima leitura positiva seguida.


Os resultados foram bem piores do que as expectativas em pesquisa da Reuters, de alta de 0,3% na base mensal e de 5,6% na anual.


Analistas consideram que a indústria deve crescer neste ano, ainda que a passos lentos, com retomada gradual principalmente em segmentos dependendes das condições de crédito, favorecida pela queda dos juros.


O Banco Central decidiu no mês passado fazer nova redução de 0,50 ponto percentual na taxa Selic, a 10,75% ao ano, mas encurtou sua indicação sobre cortes futuros ao citar uma ampliação de incertezas, afirmando que sua diretoria antevê corte na mesma intensidade apenas na próxima reunião, em maio.


O IBGE destacou que, em fevereiro, 10 dos 25 ramos industriais pesquisados mostraram redução na produção em relação ao mês anterior.


As principais influências negativas foram exercidas por produtos químicos (-3,5%), indústrias extrativas (-0,9%) e produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-6,0%).


Na outra ponta, veículos automotores, reboques e carrocerias (6,5%) e celulose, papel e produtos de papel (5,8%) apresentaram aumento na produção.


Entre as categorias econômicas, somente Bens Intermediários apresentaram queda, de 1,2%. A fabricação de Bens de Capital aumentou 1,8% no mês e a de Bens de Consumo cresceu 1,3%.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online