O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   13 de Julho de 2020
Publicidade

Sede da próxima Copa, Catar prepara volta do futebol com ar-condicionado

Liga muda formato de confinamento previsto para dois meses e meio em hotéis cinco estrelas. 

26/06/2020 - 16h31

Globo Esporte

Sem jogos desde 7 de março, o pequeno país planeja grande Copa (Foto: Divulgação)

Seja pelo grande potencial financeiro, investimento no PSG e, principalmente, ser a sede da próxima Copa do Mundo, o Catar ganha cada vez mais ares de protagonista no mapa do futebol mundial. Sem jogos desde 7 de março, o pequeno país localizado no Oriente Médio planejou uma grande operação para a retomada das competições, que envolve regras de confinamento total dos jogadores e membros de comissões técnicas.


Depois de serem testados no dia 13 de junho, os 12 times da primeira divisão do Catar entraram em isolamento em quatro hotéis cinco estrelas de Doha, com tudo pago pela Liga de Futebol do Catar (QSL). Os quartos são individuais, e os atletas só podem sair para treinar.


O campeonato volta no dia 24 de julho. Inicialmente, o confinamento estava planejado para durar até 23 de agosto, quando as cinco rodadas restantes da temporada estão previstas para terminar. No entanto, a QSL aprovou uma segunda fase do protocolo na quarta-feira passada, que contempla a quarentena dos jogadores em suas casas, para onde eles devem ir nas próximas semanas.


São sete brasileiros na liga. Um deles é Kayke, atacante ex-Flamengo e Santos. Defende o Qatar SC e relatou a grande mudança na rotina.


- É uma rotina um pouco diferente do que estamos acostumados. Em pré-temporada, a gente geralmente vai no quarto do amigo, sai no corredor, uns jogam carta, outros videogame, ficamos na resenha na janta... Agora, não tem nada disso. É um jogador por quarto, ninguém pode ficar no quarto do outro. A gente não pode ficar na recepção nem andar sem máscara dentro do hotel, inclusive para ir aos treinos.


O planejamento da liga mudou por não ser unanimidade entre os atletas e comissões técnicas. A principal reclamação era sobre o longo período de confinamento, que impossibilitava qualquer contato físico com os familiares.


Grandes nomes do futebol mundial, como o ex-jogador Xavi - atual técnico do Al Sadd - e o atacante croata Mandzukic, ex-Juventus, reclamaram do confinamento nos hotéis, o que pesou nessa mudança para um protocolo mais convencional.


- Repercutiu de uma forma bem negativa, principalmente entre jogadores e suas comissões técnicas. A gente tem toda uma estrutura familiar, filhos... Para ser bem sincero, dois meses e meio acaba sendo um tempo que a gente não está acostumado. As pré-temporadas tem 20, no máximo 30 dias, dependendo do país.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Esporte
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS