O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   13 de Julho de 2020
Publicidade

Barroso admite rever posição sobre realização das eleições este ano

Presidente do TSE participou de videoconferência da qual o presidente da Assomasul, Pedro Caravina, representou os prefeitos do Centro Oeste

29/06/2020 - 17h05

Campo Grande

Caravina durante a reunião com Barroso (Foto: Divulgação)

Willams Araújo


O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Luis Roberto Barroso, admitiu rever nesta segunda-feira (29), durante videoconferência com prefeitos, a posição que defende publicamente sobre a realização das eleições municipais este ano.


A possibilidade de o ministro mudar de opinião foi uma resposta a questionamento feito pelo presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, que representou os prefeitos da região Centro Oeste durante a reunião virtual promovida pela CNM (Confederação Nacional de Municípios).


Ao encaminhar sua perguntar, Caravina falou das dificuldades dos municípios diante do agravamento da pandemia do Covid-19 (novo coronavírus) em todo Brasil, além do risco que os candidatos e eleitores correm caso a calendário eleitoral seja mantido para este ano.


Há dias, o Senado aprovou PEC 18/2020 (Proposta de Emenda à Constituição) que fixou os dias 15 e 29 de novembro como datas do pleito este ano.  Agora, o texto está sendo analisado pela Câmara dos Deputados, onde ainda não existe consenso.

Caravina fez várias ponderações na reunião, inclusive sobre a questão sanitária, a saúde pública,  não apenas em Mato Grosso do Sul, mas em todo país, nesse momento de crise, sobretudo, advertiu que não existe nenhuma garantia de que a situação esteja controlada até lá, a possibilidade de se ferir a democracia, o índice de abstenções, além dos riscos a mesários e a população de um modo geral.  


Diante disso, o dirigente perguntou se já não era o momento de decidir pela suspensão das eleições e não apenas empurrar a data mais para frente, como é o desejo de algumas lideranças em Brasília.


Como resposta, segundo Caravina, o ministro, além de não descartar a possibilidade de rever sua posição, revelou contudo, que tinha em mãos informações técnicas de saúde pública de que em setembro a curva de contaminação pelo Covid-19 deve começar a cair.


“Ele disse que vai aguardar, porque os médicos disseram pra ele que em setembro a curva começa a cair e novembro vai estar mais tranqüilo e em condições de fazer as eleições, mas que ele não descarta uma nova reunião, uma nova tomada de decisão junto com o Congresso Nacional”, informou o presidente da Assomasul e membro do Conselho Político da CNM.


Na reunião, apenas cinco presidentes de entidades estaduais de municípios, além do presidente Glademir Aroldi, usaram da palavra.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS