O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   14 de Agosto de 2020
Publicidade

Caarapó fica em 2º lugar no ranking estadual de geração de empregos formais

Os números constam de relatório do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia.

02/07/2020 - 15h07

Campo Grande

Vista da entrada da cidade de Caarapó (Foto: Reprodução)

Caarapó atingiu a vice-liderança no ranking de geração de empregos com carteira assinada no último mês de maio.


Os números constam de relatório do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia), divulgado nesta semana pelo órgão federal. Conforme o balanço do Ministério da Economia, Caarapó ocupa a terceira colocação entre os municípios do Estado se considerados os números totais do primeiro semestre deste ano.


De acordo com os indicadores do Caged, Caarapó contabiliza 563 novas vagas no acumulado do ano.

O fato foi comemorado pelo prefeito André Nezzi (PSDB) em suas redes sociais, que afirmou que a geração de empregos formais segue sendo uma das principais bandeiras da administração municipal.


"É um grande avanço. Temos que comemorar essa boa notícia para Caarapó. No levantamento anterior, estávamos em sexto lugar no ranking estadual e agora saltamos para a terceira posição, com saldo positivo de mais de 560 vagas com carteira assinada geradas na primeira metade deste ano", assinalou o dirigente.


O fato ganha ainda mais destaque nesse momento de crise que o País atravessa por conta da pandemia do novo coronavírus. Como se constata, a Covid-19 tem afetado a economia, promovendo queda no faturamento das empresas e gerando demissões de mão de obra.


As áreas de indústria, comércio e prestação de serviços estão enfrentando grandes dificuldades para sobreviver em razão das implicações decorrentes das medidas de isolamento social e de redução da circulação de pessoas adotadas pelos governantes como meio de evitar a propagação do coronavírus.


Esse reflexo negativo é sentido especialmente nos pequenos municípios, cuja economia está baseada no comércio de pequeno porte e na prestação de serviços, como é o caso de Caarapó, onde não é raro encontrar pequenos comerciantes reclamando da redução de faturamento.


Entretanto, os números divulgados pelo Caged mostram que, ao contrário da maioria dos municípios brasileiros, Caarapó está conseguindo sobressair-se em meio à pandemia, tornando-se protagonista e referência.


Para fazer frente à pandemia, o prefeito André Nezzi (PSDB) adotou algumas medidas que privilegiam a preservação da vida. Mas buscou reduzir os impactos dessas decisões na economia local. O dirigente argumenta que todas as medidas foram tecnicamente analisadas, a fim de que a classe empresarial pudesse se manter e preservar os empregos de seus colaboradores.


O fato é que o Poder Público municipal está conseguindo conciliar preservação da vida humana com a economia seguindo em ritmo normal, tanto quanto possível.


"É um momento difícil, mas tudo isso vai passar. Precisamos que cada pessoa do nosso município fique atenta às recomendações das autoridades em saúde, lavando sempre as mãos e observando outros hábitos de higiene, evite aglomerações, fique em casa, se puder, use máscara se precisar sair, enfim, que cada um contribua para que possamos reduzir a incidência da COvid-19 em Caarapó", alertou André Nezzi.


De acordo com os números oficiais, até a tarde de quarta-feira (1), a última atualização do boletim do coronavírus de Caarapó indicava o registro de 33 casos de Covid-19 em Caarapó (3 de outros municípios), com 24 recuperados, nenhum óbito, 6 pessoas em isolamento domiciliar, 1 paciente internado e 24 exames aguardando resultado.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS