O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   10 de Agosto de 2020
Publicidade

Reinaldo diz que recebeu com indignação conclusão de inquérito da PF

Governador de MS disse que se trata de uma denúncia antiga, baseada em delações premiadas sem qualquer credibilidade e provas

07/07/2020 - 08h44

De Brasília 

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) (Foto: Reprodução/TV Morena)

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), disse que recebeu com estranheza e indignação a conclusão do inquérito da Polícia Federal que o acusa de três crimes. Segundo o jornal O Globo, ele foi indiciado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa no recebimento de supostas propinas da JBS.


De acordo com o G1, Azambuja disse que se trata de uma denúncia antiga, baseada em delações premiadas sem qualquer credibilidade e provas.


Segundo o jornal O Globo, o inquérito foi aberto com base na delação premiada de executivos do grupo J&F e na investigação da operação Vostok, de 2018.


O inquérito investigou o recebimento de propina em troca de incentivos fiscais concedidos aos frigoríficos da JBS. A JBS é controlada pela J&F.


De acordo com o jornal, Azambuja foi indiciado pelo recebimento de propinas da JBS que totalizaram R$ 67 milhões e teriam provocado um prejuízo de R$ 209 milhões aos cofres públicos do estado.


A PF concluiu que as “propinas foram pagas por meio de dinheiro vivo, repasses da JBS a um frigorífico que gerava notas fiscais frias e, por último por doações eleitorais oficiais, entre os anos de 2014 e 2016”, no primeiro mandato do governador.


Também “segundo a investigação, o governador entregava pessoalmente à JBS as notas fiscais frias, que serviriam para dissimular os pagamentos de propina” Além do governador, o filho dele, Rodrigo Souza e Silva, e outras 20 pessoas também foram indiciadas.


Agora caberá a PGR (Procuradoria-Geral da República) decidir, com base nas provas obtidas, se apresenta denúncia contra Azambuja.


A J&F não quis se pronunciar.


Confira a integra da nota do governador Reinaldo Azambuja:


O governador Reinaldo Azambuja recebeu com estranheza e indignação a conclusão do inquérito.

Trata-se de denúncia antiga, baseada em delações premiadas sem qualquer credibilidade e provas, que vêm sofrendo, em casos diversos no País, inúmeros questionamentos judiciais quanto à sua procedência e consistência.


Passados três anos de inquérito tramitando no STJ, não foi possível concluir ou ao menos indicar de que forma o governador teria praticado qualquer tipo de ilícito.


Desde a Operação Vostock, realizada de forma midiática e exorbitante, bem no meio da campanha eleitoral de 2018, não se conseguiu produzir uma única prova de que tenha recebido qualquer tipo de vantagem indevida da JBS.


Neste caso, é importante pontuar que a própria empresa confessou que os termos de acordo para benefícios fiscais do estado não estavam sendo cumpridos e aderiu a programas de recuperação fiscal, bem como efetuou o pagamento de valores devidos a título de imposto, de modo que não houve dano ao Erário, nem tampouco qualquer ato de corrupção praticado.


Com o fim do inquérito, o governador Reinaldo Azambuja entende que , em processo com ampla defesa, demonstrará a improcedência de todas as acusações a ele dirigidas.


Reinaldo Azambuja

Governador do Estado de Mato Grosso do Sul

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS