O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   20 de Maio de 2022
Publicidade

Ayache desiste da vice e mira 2024

25/02/2022 - 07h44

Manoel Afonso 

VALEU CLAUDIONOR! “Atender bem, com alegria, e saber que no final do dia posso descansar com o sentimento de dever cumprido”. Essa declaração do desembargador Claudionor A. Duarte, após mais de 34 anos no cargo, sintetiza sua postura como representante dos advogados no TJMS. Jamais o cargo subiu-lhe a cabeça, com saber jurídico, simplicidade e cordialidade.


‘NOVIDADES’:  Nos bastidores fala-se na candidatura de Jerson Domingos  a deputado estadual. Fiel escudeiro de André Puccinelli (MDB), já teria condições de se aposentar no Tribunal de Contas.  Outro nome é do ex-prefeito de Nova Andradina (3 vezes) e ex-integrante do Governo Estadual – Roberto Hashioka cotado para disputar a Câmara Federal ou a Assembleia Legislativa pelo PSDB.


MAIS GENTE: Com as novas regras os partidos terão que lançar candidatos e candidatas sem o papel de laranjas de antes. Terão que ser comprovado por exemplo, de que eles tiveram acesso do dinheiro do fundo eleitoral sob as penas da lei.  Neste rol teremos alguns ex-prefeitos, vereadores e outros futuros candidatos a prefeito nas eleições de 2024.


UM EXEMPLO: Em Costa Rica, no pleito de 2018 o candidato a deputado estadual ‘Delegado Cleverson’ obteve 3.490 votos (27,73%). Continuou no cargo, mudou do PDT para o PP e em 2020 venceu as eleições municipais com 8.008 votos (60,61%) contra Leandro Bortolazzi (MDB), apoiado pelo ex-prefeito Waldeli S. Rosa (MDB), com a diferença de 194 votos.


E AGORA?  Ricardo Ayache (PSB) recebeu convite para ser companheiro na chapa de Marquinhos Trad (PSD). Agora o presidente da Cassems recusou a oferta para focar no combate a pandemia através da sua entidade. Não se ventilou ainda em outros nomes. Ayache poderia estar se preparando para tentar a prefeitura da capital em 2024? Um belo candidato, sem dúvida.


DEPUTADOS & AÇÕES:  Paulo Corrêa (PSDB): debaterá com o Governo do Estado, Fundesporte e os grupos de ciclistas a construção da ciclovia no macroanel da capital;  é unanimidade quanto as  anunciadas medidas sanitárias e de funcionamento da Assembleia Legislativa. José Teixeira (DEM), comemora as obras de melhoramento da Escola Estadual no J. Maracanã em Dourados e na Escola Estadual de Paraíso das Águas; pede intervenção do Estado na saúde de Dourados; Lucas de Lima (Sol); seu projeto prevê adoção de videomonitoramento nas casas de repouso e asilos particulares; é sua proposta de conscientização dos riscos da automedicação em animais; tem projeto prevendo que servidores públicos, ativos, inativos, militares e pensionistas tenham acesso ao sistema de energia solar fotovoltaica.  Capitão Contar  (PSL), eleito vice-presidente de Assuntos Políticos da Secretaria de Empreendedorismo e Turismo da Unale; ingressará no PL; engajado na campanha pró Bolsonaro; seu projeto ‘Denúncia Segura’ protege autores de denúncias de corrupção na gestão pública   Pedro Kemp ( PT): sob vistas na CCJR sua proposta do programa de incentivo a imunização do Covid no âmbito do serviço público estadual; é seu projeto incluindo o portador da Síndrome Neurofibromatose no grupos dos deficientes; pede criação de vagas para professores de alunos especiais e indígenas.  


DO LEITOR:  “Os candidatos da 3ª. via perdem até nas eleições para síndico; Bolsonaro mantém fiel 25% do eleitorado; há sinais de recuperação da economia; o Auxílio Brasil  pesa; Bolsonaro terá tempo na TV para mostrar suas obras; terá candidatos competitivos ao Senado e aos Governos Estaduais importantes; seu time é atuante nas redes sociais;  Lula não terá vida fácil...”


A ANÁLISE é razoável, mas há de esperar as definições das federações partidárias e eventuais fatos novos influentes nestes 7 meses para se pensar no 2º turno. Observadores admitem o salto alto petista e há dificuldades de Lula em administrar as pretensões de companheiros e aliados em alguns Estados. Mas ele tem poder de barganha com o aceno de ministérios, embaixadas e outros cargos. Tudo se resolve com a caneta poderosa.


CIRO GOMES: Um exemplo. Sem mandato, quer sair da fila do poder. A política é dinâmica, o relógio trabalha contra o político. Ele faz o jogo para se valorizar: dispara contra todos, reclama e faz ameaças tentando liderar a incipiente 3ª. via. Mas acho que ele se contentaria com a promessa convite de Lula para chefiar um ministério ou a embaixada em Portugal? Não há nada que uma ‘boa conversa’ não resolva.


CLARO! É cedo e inconveniente falar em possíveis nomes para a equipe do Planalto. Lula sabe da rejeição de nomes petistas estigmatizados pela Lava Jato. Dariam munição aos adversários centrados no discurso contra a corrupção. Parece que a tendência seria por nomes novos e também esticar a corda para abordar esse assunto bem lá na frente.


‘NA PRAIA’... A exemplo de Ciro, João Dória (PSDB) e Simone Tebet (MDB) não emplacaram e devem sair menores do que entraram. A última conversa está centrada na hipótese do governador gaúcho Eduardo Leite ( PSDB) ingressar no PSD para disputar o Planalto.  Mas ele não teria os predicados para mudar o jogo.  Lembra aquele goleador que após fazer sucesso num time pequeno, não emplaca numa grande equipe.


AÇÕES PARLAMENTARES:  Gerson Claro (PP): em Paranaíba entregou tomógrafo computadorizado e promoveu o lançamento de 10 leitos; em Costa Rica inaugurou Centro de Hemodiálise para 60 pacientes; viu instalados redutores de velocidade no Assentamento Itamarati; pede patrulha mecanizado para o Quilombola de Sonora.  Antônio Vaz (REP): comemorou a importância dos 90 anos da implantação do voto para as mulheres no país; presidente da Comissão Parlamentar da Saúde comandou audiência pública de prestação de contas dos investimentos na área, com participação do Secretário Geraldo Resende. Paulo Duarte (MDB): usou da tribuna virtual para defender os critérios adotados dos repasses de ICMS aos municípios pela Secretaria de Fazenda. Marçal Filho (PSDB):  após destinar emenda de R$330 mil cobra aquisição de unidade móvel odontológica pela prefeitura de Dourados; assinou convênio de repasse de R$1,1 milhão para equipar a Clínica da Mulher em Rio Brilhante; quer implantação de delegacias de combate aos maus tratos de animais. Mara Caseiro(PSDB): elogia  o Governo pelo aumento  salarial dos professores convocados; sua proposta cria o Estatuto da Mulher Parlamentar ou ocupante de cargo e emprego público no MS; solicita antena da TV Educativa para transmissão em canal aberto em Naviraí; pede asfalto para ruas laterais de Jaraguari.  


NA ESTRADA:  O ex-governador André Puccinelli (MDB) enfrenta a maratona de pré candidato: feijoada, galinhada e arroz carreteiro, mas sem levar a tiracolo o ex-secretário Edson Giroto. Quanto ao critério de escolha de candidatos dos partidos da federação do MDB, André entende ter direito por liderar as pesquisas. Uma parada indigesta para quem tem memória – é claro!


JOGATINA: Aprovada pela Câmara, a legalização dos cassinos e do jogo do bicho não para aí. Terá que passar pelo Senado e após virá a decisão de Bolsonaro. Em ano eleitoral, de olho no colégio eleitoral evangélico, a tendência é de vetá-lo sob o argumento de que seria mais um mecanismo de lavagem de dinheiro, etecetera e tal.  


HIPOCRISIA:  Nada como morar num pais sério.  A proibição incentiva a formação de carteis, máfias e sindicatos do crime com tentáculos inclusive na política. A legalização vai gerar renda sem desvios. Criticar os deputados Beto Pereira (PSDB) e Fábio Trad (PSD) por votarem pela legalização é mero oportunismo político. É o que penso.


ESTILHAÇOS: É possível sim que eles atinjam nosso Estado. Dependendo da evolução do conflito contra a Ucrânia e das sanções econômicas contra a Rússia, as suas empresas poderão ser proibidas de fazer negócios e movimentar dinheiro no exterior. Neste caso, a concretização da venda da unidade de fertilizantes de Três Lagoas poderia ser retardada ou até cancelada. Guerra é guerra.


AÇÕES LEGISLATIVAS:  Amarildo Cruz (PT): visitando bairros e comunidades carentes de Campo Grande para ouvir os reclamos; tem proposta para denominar Dionísio Antonio Vieira o trecho da rodovia MS-10 ligando Rochedinho a Furna do Dionísio Evander Vendramini (PP): solicita asfalto entre Corguinho e o distrito de Taboco; pede policiamento ostensivo em bairros da capital; de sua autoria PL aprovado denominando ‘Dalci Vicente Sebben’ trecho da MS-423 (Curva do Leque) entre Rio Negro a Corumbá.  Lídio Lopes (Patri): em Brasília deu posse – como presidente - aos novos secretários da Unale na sede da entidade; solicita ao Governo, com cópias ao Ministério da Saúde, a reposição urgente na rede pública dos remédios contra leucemia, hoje obtidos através da via jurídica. Neno Razuk (PTB): pede ao Governo Estadual a construção de escola para atender a populosa região com 7 bairros em Dourados; tem visitado bairros  periféricos de Dourados ouvindo as reivindicações da população. José C. Barbosa  (DEM): em evento presencial assumiu a Secretaria de Justiça da Unale;  denúncia as falhas de gestão e pede intervenção do Estado na saúde de Dourados.


FIQUE DE OLHO! As prescrições havidas em processos onde figuram políticos e empresários (cumplices) acabam resultando na impunidade. No fundo, os réus não foram absolvidos por inocência comprovada, mas sim pelos benefícios resultantes dos artifícios jurídicos repudiados pela opinião pública. E alguns destes políticos poderão ser vistos no próximo horário eleitoral.  


ESPERTALHÕES ou trapalhões? Os ex-prefeitos da capital, Alcides Bernal (PP) e Gilmar Olarte (sem partido) quebraram a cara ao perder os direitos políticos e condenados a pagar a multa de R$2,5 milhões por irregularidades administrativas. Olarte segue preso e Bernal longe dos microfones que viabilizaram sua curta e ruidosa carreira política. A conta às vezes demora, mas um dia chega.


ATENÇÃO:  A internet avança e influencia cada vez mais. Dados recentes mostram a mudança crescente; pelo menos 16% da nossa população usa deste meio para o exercício do direito democrático como reivindicar direitos, propor soluções, cobrar autoridades em todos os níveis e apresentar demandas. É uma fatia enorme, que embora invisível, vai cumprindo seu papel no atual cenário.


PONTO FINAL:

O Kremlin não compensa. (Solda)

Andar de montanha russa, nem pensar! (Nelson Padrella)

Não se apresse em perdoar. A misericórdia também corrompe. (Nelson Rodrigues)

 Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus. (Albert Einstein)

Estamos a zero dias em paz e com boas notícias.  ( na internet)

“A guerra é um lugar onde jovens que não se conhecem e não se odeiam se matam entre si, por decisão de velhos que se conhecem, se odeiam, mas não se matam”.

(Erich Hartmann)

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Manoel Afonso
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS