O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   18 de Maio de 2024
Publicidade

Estudante de 13 anos morre após briga dentro de escola no litoral de São Paulo

A briga aconteceu no interior da Escola Estadual Júlio Pardo Couto, em Praia Grande, no litoral paulista

18/04/2024 - 17h13

São Paulo 

Com CNN

Fachada da Escola Estadual Professor Julio Pardo Couto (Foto: Reprodução/Google Street View)

O adolescente Carlos Teixeira Gomes Ferreira Nazara, de 13 anos, morreu na última terça-feira (16), uma semana após ser vítima de agressão por colegas de escola. A briga aconteceu no interior da Escola Estadual Júlio Pardo Couto, em Praia Grande, município do litoral paulista.


O pai da vítima, Julisses Fleming, contou à CNN que foi chamado ao colégio no dia 9 de abril, quando foi informado por uma das gestoras do colégio que seu filho havia caído da escada. O garoto desmentiu a versão da funcionária e contou que foi agredido por três colegas.


De acordo com a família, Carlos foi abordado pelos demais alunos no banheiro da escola. Posteriormente, os adolescentes se jogaram sobre ele. Neste dia, o jovem chegou a chorar de dor em casa e a família notou que as costas do garoto aparentavam ter entortado. O garoto se queixou de dor, falta de ar e apresentou febre.


No mesmo dia, Carlos foi atendido em um hospital municipal de Praia Grande, onde recebeu uma injeção e teve alta. Nos dias seguintes, o menino chegou a passar por consultas em outras unidades de saúde do município. Segundo Julisses, o filho chegou a ser diagnosticado com luxação e estresse pós-traumático em decorrência do bullying que vinha sofrendo no colégio.


A família, então, buscou ajuda em Santos, cidade vizinha. Uma semana depois do episódio de agressão, o adolescente teve três paradas cardiorrespiratórias e morreu na Santa Casa de Misericórdia de Santos.


O corpo de Carlos Teixeira permanece no IML (Instituto Médico Legal), onde passa por exames necroscópicos. Inicialmente, o caso foi registrado na polícia civil como morte suspeita. As investigações seguem em andamento.


A Seduc-SP (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) lamentou o ocorrido e disse que  a Diretoria de Ensino de São Vicente instaurou uma apuração preliminar interna do caso. A pasta afirmou que está colaborando com as informações.


Em nota, a Prefeitura de Praia Grande disse que está analisando todos os procedimentos adotados no atendimento efetuado no pronto-socorro da cidade.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Geral
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online