O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   13 de Abril de 2024
Publicidade

Obras e projetos inovadores: Murtinho se estrutura e fomenta o empreendedorismo

Os investimentos somam R$ 150 milhões em três anos e com mais de 80 obras concluídas ou em execução 

30/03/2024 - 08h47

Porto Murtinho (MS)

Por Silvio de Andrade 

Prefeito Nelson Cintra presente na abertura da Feira da Gastronomia, incentivando os pequenos empreendedores da cidade (Foto: Silvio de Andrade )

Com iniciativas arrojadas e investimentos em infraestrutura, focados no empreendedorismo individual, inclusão produtiva e social e estímulos ao desenvolvimento econômico, Porto Murtinho se prepara para ser o centro do comércio transfronteiriço da Rota Bioceânica. Trata-se de um dos mais ousados projetos de integração latino-americana por eixos rodoviários em execução, unindo Brasil, Paraguai, Argentina e Chile pelos portos do Atlântico e Pacífico. 


“Porto Murtinho na Rota”, programa de múltiplas ações criado pelo prefeito Nelson Cintra, está transformando uma cidade até então estagnada e considerada fim de linha no extremo da fronteira sudoeste com o Paraguai. Até 2021, os cenários eram totalmente desfavoráveis: alto índice de desemprego, ausência de planejamento e de investimentos públicos e privados, população desestimulada e sem qualificação profissional e o comércio em declínio.


Com apoio do Governo do Estado, bancada federal e Câmara de Vereadores, a prefeitura deflagrou em várias frentes o início do novo ciclo de desenvolvimento antevendo o futuro promissor da cidade como portal da Rota Bioceânica. “Estamos reconstruindo Porto Murtinho, hoje uma das cidades mais importantes de MS, com investimentos e preparando as pessoas para as oportunidades de empregos e negócios que surgirão nos próximos anos”, afirma Cintra.


Obras e inclusão produtiva


Os investimentos somam R$ 150 milhões em três anos, com mais de 80 obras concluídas e em execução - inaugurando um período sem precedentes para a cidade desde os ciclos da erva-mate e do tanino, no início do século XX. O “Porto Murtinho na Rota” compreende 15 ações prioritárias, dentre as quais a inclusão produtiva e social, abrangendo as seis aldeias indígenas.


Em parceria com o Sebrae, por meio do programa Cidade Empreendedora, o município incrementa os pequenos negócios e capacita os trabalhadores.


“Assumimos a prefeitura (em 2021) com a cidade abandonada e os murtinhenses com baixa autoestima e sem perspectivas de crescer e viver bem”, lembra o prefeito. “Com o Sebrae, buscamos envolver a população, mostrar o caminho das oportunidades e envolve-la nesse novo cenário de retomada do desenvolvimento, fazendo com que cada morador se apoderasse do que a cidade tem e pode ter, perceber que a cidade é nossa, dos nossos filhos”, pontua.


Paralelamente às obras de infraestrutura urbana (recuperação do pavimento de ruas, reforma e ampliação de escolas, hospital, postos de saúde, praças e prédios públicos e construção de moradias e reurbanização da orla portuária), a prefeitura investe fortemente nas pessoas. Com a Sala do Empreendedor, estimula a regularização das pequenas empresas, promove dezenas de cursos de capacitação e fomenta a economia solidária e familiar.


Orgulho de viver aqui


Foi reaberta a feirinha livre e está em reforma o Mercado do Produtor, atendendo 31 pequenos empreendedores. As ações incluem certificação dos produtos caseiros e produção hortifrutigranjeira, com a criação da Fazendinha Urbana, beneficiando 60 famílias da agricultura familiar. Com o Juventude Empreendedora, a prefeitura inseriu o conceito empresarial na rede escolar e envolve mais de 300 jovens, com acesso também aos projetos de cidadania voltados à música, esportes e sustentabilidade. O programa Prosperar inseriu 38 “mães-solo” em situação de vulnerabilidade no mercado de trabalho.


O “Orgulho de Viver Aqui” é um dos programas de maior impacto voltado ao estímulo à formalidade dos MEIs e melhoria do ambiente de pequenos negócios e geração de renda. Com a contratação de 15 empreendedores individuais, por lei municipal e edital, a prefeitura hoje economiza R$ 90 mil mensais ao deixar de contratar empresas de limpeza pública. Com manutenção diária em todos os bairros, o serviço é executado com excelente qualidade e os MEIs ganham por produção e ainda geram 15 empregos de ajudantes

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online