O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   23 de Fevereiro de 2024
Publicidade

Canonização pelo Vaticano da 1ª santa argentina aproxima o Papa de Milei

A cerimônia ocorre enquanto a Argentina enfrenta sua pior crise econômica em décadas, com a inflação em mais de 200%

11/02/2024 - 09h00

Internacional 

Com Reuters 

Papa Francisco e Javier Milei conversam durante cerimônia de canonização da primeira santa argentina, neste domingo (11) (Foto: Reuters )

O Papa Francisco elevou à santidade, neste domingo (11), a primeira santa mulher da Argentina, um evento que trouxe ao Vaticano seu antigo crítico vocal, o presidente argentino Javier Milei.


Milei, um libertário de direita, tinha – antes de concorrer à presidência – chamado Francisco de “imbecil” e “filho da p*** pregador do comunismo”, mas suavizou seu tom desde que assumiu o cargo em dezembro.


O Papa, por sua vez, disse que não prestou muita atenção aos insultos, dizendo à emissora mexicana N+ que o que importa é o que os políticos fazem no cargo, e não na campanha.


Francisco liderou uma missa de canonização na Basílica de São Pedro para Maria Antônia de Paz y Figueroa, mais conhecida como “Mama Antula”, uma leiga consagrada do século XVIII que renunciou às riquezas de sua família para se concentrar na caridade e nos exercícios espirituais jesuítas.


A cerimônia ocorre enquanto a Argentina enfrenta sua pior crise econômica em décadas, com a inflação em mais de 200%, e o recém-instalado Milei em dificuldade após a rejeição parlamentar de um grande pacote de reformas.


Milei tinha um assento na primeira fila para o culto e, no final, trocou algumas palavras com o Papa, enquanto apertavam as mãos e se abraçavam. O presidente vai ter uma audiência privada com Francisco na segunda-feira (12).


Francisco, um ex-arcebispo de Buenos Aires que irritou alguns de seus compatriotas por nunca visitar sua terra natal desde que se tornou papa em 2013, disse que pode finalmente fazer a viagem no segundo semestre deste ano.


Santa argentina


Mama Antula era filha de um rico proprietário de terras e escravos.


Ela promoveu exercícios espirituais, incluindo orações e meditação, caminhando milhares de quilômetros descalça e envolvendo os ricos e pobres nesses esforços, apesar dos jesuítas serem banidos da América Latina na época.


Francisco, ele mesmo jesuíta, descreveu-a na sexta-feira (09) como um “presente para o povo argentino e também para toda a Igreja”.


Citando seus escritos anteriores, o Papa condenou o “individualismo radical” que permeia a sociedade como um “vírus”, em palavras que podem se misturar com os radicais instintos de livre mercado de Milei.


Em sua homilia de domingo (11), ele voltou à questão de cuidar dos pobres e párias, dizendo que “o medo, o preconceito e a falsa religiosidade” levaram as pessoas à “grande injustiça” de ignorar a situação dos fracos.


Na segunda-feira (11), encerrando uma viagem de uma semana no exterior que o levou a Israel antes da Itália e do Vaticano, Milei também deve encontrar o presidente da Itália, Sergio Mattarella, e a primeira-ministra, Giorgia Meloni.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS