O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   15 de Outubro de 2018
Publicidade
Publicidade
Últimas Notícias
Publicidade
Willams Araújo
Racha

Orientado pelo ex-governador André Puccinelli, o MDB vai para campanha de Odilon de Oliveira (PDT) rachado no segundo turno da disputa ao governo de Mato Grosso do Sul. Isso porque os deputados estaduais Renato Câmara e Eduardo Rocha, marido da senadora Simone Tebet (MDB-MS), decidiram ficar com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que busca a reeleição. 

Dúvidas
Dúvidas

Aliás, resta saber se o apoio do MDB ajuda ou atrapalha as pretensões de Odilon, uma vez que o juiz aposentado sempre condenou esse tipo de aliança. Durante a campanha deste ano e também em recente entrevista de rádio, Odilon disparou críticas ao MDB, dizendo que o projeto de seu partido é incompatível com a legenda liderada por André Puccinelli.

Alfinete

Em recente entrevista, Odilon jogou duro contra os ex-adversários, hoje aliados, ao dizer que não aceitaria acordo de aliança por uma série de fatores. "O MDB está sendo acusado no Brasil inteiro, ele até tem um nome, a quadrilha do PMDB, quem diz isso é a televisão nacional. Então, efetivamente, essa mancha é lançada sobre todos os candidatos do PMDB", disparou. No entanto, mais tarde disse que aceitou de “coração e de alma” o apoio do partido.

Albergue
Albergue

Tudo indica que o tucano Reinaldo Azambuja irá procurar o deputado estadual Barbosinha (DEM), reeleito em 7 de outubro, para convencê-lo a ocupar uma Secretaria em seu eventual segundo governo. Para o alto tucanato, as acomodações políticas serão necessárias para puxar correligionários que não se deram bem nas urnas, como é o caso da deputada Mara Caseiro (PSDB), que ficou na primeira suplência da coligação. 

Pavor dos gays

Eleito pelo voto evangélico e com o apoio do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), o senador eleito pelo RJ, Arolde Oliveira (PSD), que surpreendeu ao desbancar favoritos como Cesar Maia (DEM) e Lindbergh Farias (PT), vai ao Senado para sustentar o conservadorismo e o que chama de "defesa da família". A pauta assusta grupos como LGBT, que teme a perda de direitos, tese refutada pelo novato. 

Curta no Facebook
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS