O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   29 de Maio de 2020
Publicidade
Publicidade
Últimas Notícias
Publicidade
Willams Araújo
Paliativo

É certo que o presidente Jair Bolsonaro cumpriu o importante compromisso assumido com os  prefeitos em sancionar a lei que trata do auxílio emergencial aos municípios. No total, são R$ 23 bilhões, sendo R$ 20 bilhões para utilização em ações de enfrentamento  do Covid-19 e mais R$ 3 bilhões para a Assistência Social. Para as prefeituras de Mato Grosso do Sul, o montante será de R$ 461 milhões em quatro parcelas. É importante alertar os prefeitos que o socorro possui efeito apenas paliativo, uma vez que não cobrirá em sua totalidade o prejuízo causado pela queda da receita diante da pandemia.  

Cobertor curto

A prova de que o socorro financeiro não suprirá as perdas decorrentes da queda da arrecadação é atestada pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), a qual a Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso d Sul) é filiada. Levantamento da entidade aponta R$ 74 bilhões em perdas de receitas próprias e de transferências dos estados aos municípios. Esse auxílio não recupera nem 30% dessas perdas, segundo técnicos da entidade municipalista que trabalhou duro por mais essa conquista em favor das prefeituras brasileiras. 

Sereno político
Sereno político

Dois dos mais importantes líderes políticos sul-mato-grossenses nunca tiveram tão acuados como agora: os ex-governadores Zeca do PT e André Puccinelli (MDB) atuam nos bastidores bem devagar, fora dos holofotes da imprensa estadual. O petista até que tem dado mais seus pitacos nas redes sociais, aproveitando para dar suas estocadas no governo Bolsonaro, de quem é adversário. Mas evita lembrar do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), com quem teve algumas conversas de pé de ouvido. Em uma de suas recentes participações, no Facebook, deu um “tchau querida” para a atriz Regina Duarte, quando ela deixou a Secretaria Especial de Cultura do governo. Também tem lembrado os companheiros Lula e Haddad. 

Antenado
Antenado

Quem anda antenadíssimo nas redes sociais é o deputado federal Fábio Trad (PSD-MS), que tem aproveitado o espaço para mandar seu recado e divulgar seu trabalho na Câmara Federal. Semanalmente tem convocado seus seguidores para acompanhar lives no facebook sobre comentários a respeito de eleições, Covid-19 (novo coronavírus), governo Bolsonaro, entre outros temas polêmicos do Estado e do país. Quanto ao Palácio do Planalto, deve dar uma amenizada nas críticas daqui pra frente depois que o Centrão, ao qual seu partido faz parte, fechou acordo para votar “as matérias importantes para o País”. 

Mínimo dos mínimos
Mínimo dos mínimos

Foi a sanção presidencial a MP que aumentou o salário mínimo para R$ 1.045. A retomada desse debate pelo Congresso Nacional foi endossada pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS). Ela chegou a comparar o salário mínimo praticado no Brasil com as remunerações verificadas em outros países da América Latina. "Eu gostaria de trazer quatro comparações aqui da América Latina: a Argentina está com o salário mínimo, neste momento, de R$1.185,56; o Chile, de R$1.771,92; a Bolívia, de R$1.184; o Peru, de R$1.167,75. É inadmissível que nós, brasileiros, com a riqueza que temos, com quem somos, deixemos que isso aconteça", afirmou. 

Curta no Facebook
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS