O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   20 de Setembro de 2019
Publicidade

Indústria de MS abre 2,1 mil novos postos de trabalho no ano

Setor já soma 123,1 mil trabalhadores com carteira assinada

10/09/2019 - 09h14

Campo Grande

Indústria de MS abre 2,1 mil novos postos de trabalho (Foto: Fiems)

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, já abriu, no período de janeiro a julho deste ano, 2.119 novos postos de trabalho, o que eleva para 123.146 o número de trabalhadores empregados com carteira assinada na indústria até o momento, conforme aponta levantamento realizado pelo Radar Industrial da Fiems. 


De acordo com os dados disponibilizados, o saldo positivo obtido no período de sete meses deste ano é resultado de 35.914 contratações e 33.795 demissões.


Na avaliação do presidente da Fiems, Sérgio Longen, os números positivos têm de ser comemorados todas as vezes em que são alcançados.


“Cada vez mais, a indústria de Mato Grosso do Sul tem apresentado bons indicadores, consolidando a evolução do setor no Estado. As projeções feitas no fim do ano passado já demonstravam que teríamos um desempenho melhor em 2019 e os dados apresentados pela geração de empregos, faturamento e indicadores de otimismo dos empresários industriais confirmam isso”, analisou.


Ele acrescenta que o fato de o setor ter superado mais de 2,1 mil novos postos de trabalho de janeiro a julho deste ano é extremamente positivo para a economia sul-mato-grossense. 


“Esses números já podem ser considerados os primeiros sinais de recuperação do setor. O bom desempenho confirma a previsão de que neste 2º semestre as coisas deveriam melhorar ainda mais para o setor industrial do Estado”, pontuou.


Os dados


Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, o saldo positivo dos primeiros sete meses deste ano pode ser creditado às indústrias de alimentos e bebidas (+822), da construção (+700), química (+378), do papel, papelão, editorial e gráfica (+277), extrativa mineral (+112) e metalúrgica (+86). 


“Somente no mês de julho, registramos a abertura de 149 postos de trabalho na indústria estadual, que é resultado de 4.807 contratações e 4.658 demissões. Os maiores saldos no mês foram nas indústrias de alimentos e bebidas (+276), da construção (+92), extrativa mineral (+52), do papel, papelão, editorial e gráfica (+46) e de calçados (+43)”, informou.


Já nos últimos 12 meses foram abertos 944 postos de trabalho na indústria estadual, que são resultado de 57.528 contratações e 56.584 demissões, tendo como maiores saldos as indústrias de alimentos e bebidas (+1.568), de papel, papelão, editorial e gráfica (+241), metalúrgica (+141) e extrativa mineral (+111). 


“Com esses números, o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou julho de 2019 com 123.146 trabalhadores empregados, indicando elevação de 0,2% em relação ao mês anterior, quando o contingente ficou em 122.945 funcionários. 


Atualmente, a atividade industrial responde por 18,9% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás dos setores de serviços (195.578), administração pública (133.910) e comércio (128.043)”, comparou.


O economista relata que de janeiro a julho 118 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 3.911 vagas, com destaque para abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+474), fabricação de álcool (+457), fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel (+298), serviços especializados para construção (+224) e fabricação de açúcar em bruto (+187). 


Em relação aos municípios, constata-se que em 44 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação com destaque para Campo Grande (+551), Naviraí (+350), Itaquiraí (+247), Maracaju (+203), Coxim (+171), Sidrolândia (+156), Chapadão do Sul (+114), Aparecida do Taboado (+109), Paraíso das Águas (+86), Nova Andradina (+74), Eldorado (+72), Corumbá (+67), Dourados (+65), Angélica (+55), Terenos (+53), Anastácio (+50) e Ribas do Rio Pardo (+40).

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Economia
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS