O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   24 de Agosto de 2019

Barroca considera virada justa e destaca capacidade do Botafogo de reverter

Com resultado, equipe sobe para a sétima colocação, com 22 pontos

12/08/2019 - 09h14

Globo Esporte

O técnico Eduardo Barroca (Foto: Fred Gomes)

O Botafogo venceu o Athletico-PR por 2 a 1 pela 15ª rodada do Brasileirão. O Alvinegro saiu atrás no placar logo aos 15 minutos de jogo, mas empatou ainda no 1º tempo e conseguiu a virada na 2ª etapa. O técnico Eduardo Barroca rasgou elogios a seus jogadores e destacou a capacidade da equipe em reverter uma situação adversa:


- O resultado foi justo pelo que produzimos na somatória dos tempos, pela capacidade do grupo de reverter uma situação adversa. Era uma equipe que tinha a mesma pontuação. Fico satisfeito com a dedicação deles. Foram na raça, no coração. É um grupo muito sério e dedicado. É a característica deles. Tenho muito prazer de trabalhar com eles.


Com o resultado, o Botafogo chegou aos 22 pontos, subiu duas posições e agora ocupa a sétima colocação na tabela. O Alvinegro visita o Corinthians no próximo sábado, pela 15ª rodada.


- Conheço muito bem o Corinthians, afinal eu vim de lá (risos). Vamos enfrentar uma equipe muito boa, muito bem treinado. Aproveito para agradecer já ao Carille, amigo de longa data. Sempre muito aberto o trabalho dele. Ele me inseriu no trabalho dele. Há pouco tempo, acho que há 10 dias, conversamos longamente sobre uma série de coisas. Fez o primeiro passo da carreira de treinador de uma maneira muito cristalina. Me espelho muito na sua conduta.


O Botafogo venceu o Athletico-PR por 2 a 1 pela 15ª rodada do Brasileirão. O Alvinegro saiu atrás no placar logo aos 15 minutos de jogo, mas empatou ainda no 1º tempo e conseguiu a virada na 2ª etapa. O técnico Eduardo Barroca rasgou elogios a seus jogadores e destacou a capacidade da equipe em reverter uma situação adversa:


- O resultado foi justo pelo que produzimos na somatória dos tempos, pela capacidade do grupo de reverter uma situação adversa. Era uma equipe que tinha a mesma pontuação. Fico satisfeito com a dedicação deles. Foram na raça, no coração. É um grupo muito sério e dedicado. É a característica deles. Tenho muito prazer de trabalhar com eles.


Confira mais declarações de Barroca:

Análise do jogoNo primeiro tempo, a gente pressionou o Athletico, e eles conseguiram sair pela frente da nossa linha de quatro. Usavam o jogo de verdade com Thonny Anderson. A gente foi pressionando, e eles saíram uma ou duas vezes. E fomos perdendo a confiança na pressão, acabou ficando espaçado. A gente estava preocupado em não tomar nas costas e ficou espaçado. A pressão não entra bem, fica espaçado e sofreu um gol que não é comum. Não foi bem um gol de bola parada, ainda não tinha tomado de bola parada. Foi de rebote de bola parada. Trouxe insegurança. Acho que após o gol, crescemos no primeiro tempo ainda, Carli botou bola na trave, cruzamentos. No segundo tempo, fizemos ajustes na pressão, na compactação e tentamos fechar esse passe que estava entrando do Thonny Anderson.


Time desligado no inícioA gente não entrou na nossa plenitude de estar concentrado e ligado, a gente errou no timing e em algumas atitudes. Você erra um passe, vai pressionando errado, e o jogo vai ficando difícil. A gente não entrou no nosso nível, mas mérito dos jogadores também. Talvez foi o intervalo mais tranquilo que tive no Botafogo, quando as dificuldades são coletivas, a responsabilidade é do treinador. Procurei focar nas questões coletivas para que a gente voltasse a ter predominância coletiva, e acho que deu certo.


Joguei algumas vezes contra Tiago Nunes no sub-20 e no sub-23. É um cara que me agrada muito e a forma como ele pensa de futebol. Já brigamos muito na base no bom sentido, mas sempre com respeito e carinho. A gente se dá muito bem. Depois vou pegar o vídeo e rever com certeza para ver o que precisamos desenvolver.


Elogios a Diego SouzaA questão do encaixe da pressão e da compactação. Nossa pressão não estava no timing certo. A gente ajustou o posicionamento de pressão para que o Athletico não achasse mais os espaços verticais com Thonny Anderson.


Como fazer Diego Souza ser mais participativo?Eu não estava aqui na chegada dele, mas ele veio para ser protagonista. Eu o trato como protagonista, tenho confiança plena nele. Nunca tinha trabalhado junto. Profissional impecável. Treinou todos os dias, nunca me pediu dez minutos para ficar fora de qualquer treino que fosse. Vem crescendo, os números individuais vêm melhorando, os números físicos, entrega. Tenho conversado com ele e tento tirar algumas coisas. Já jogou comigo como 9, como 9 que flutua mais, como meia. É um cara que num olhar sabe o que preciso dele e consegue transmitir para o restante da equipe.


Lucas CamposLucas é um jogador que conheço muito bem, jogou comigo três anos na base. Tem muita velocidade, é jovem e promissor. No processo de transição da base para o profissional, o jogador joga muito na base, sempre foi protagonista, mas no profissional a competição é outra. Botafogo fez a coisa certa, botou ele para rodar. Quando voltei, pedi para ele voltar. Gosto dele, confio e tem muito a crescer. Entrou muito bem no jogo, já tinha entrado muito bem contra o CSA. Fico feliz.


Encarar o Corinthians de igual para igualNo primeiro ciclo, a gente conseguiu duas vezes emendar três vitórias seguidas. Nesse segundo ciclo, é a primeira vez que temos essas oportunidades. Penso que precisamos de coragem para encarar qualquer desafio. Sabemos que vai estar cheio, mas vamos jogar para dar o nosso máximo.


Dia dos PaisDia muito especial, tive a oportunidade de entrar em campo com meus filhos. Vida atribulada, de muita ausência de casa. Ter a oportunidade de trazer essa alegria para o Botafogo, para os profissionais do clube e para a nossa família é uma sensação de prazer. Gosto muito do Botafogo, tenho muito prazer de estar aqui.


Meus filhos são a Ana Beatriz, de 4 anos, e o Bernardo, que tem um ano. Dirigir o Botafogo é muito orgulho, uma responsabilidade muito grande. Levo com uma seriedade muito grande. Ter a oportunidade de dirigir o Botafogo na Série A é muito importante, junto com isso tem a minha responsabilidade com o clube, todos se esforçando para que o clube cresça. Comissão técnica, jogadores. É uma vida de muita ausência, de dedicação plena a esse projeto. Esse momento com meus filhos vai ficar guardado na minha vida.


Espaços pela direitaEntendo que o Athletico acabou usando características dos jogadores deles, mas vou ter uma análise mais fidedigna quando ver o VT. Se tiver que fazer ajuste, a gente vai fazer. Hoje não, mas amanhã sim já pensando no jogo com o Corinthians.


Elogios a MarcinhoTenho falado bastante com Marcinho, cresceu muito de produção. Jogador de muita personalidade, resgatou o que fez várias comigo na base. Tem jogado muito bem.


Base do BotafogoNa hora que tomo as decisões, não penso se é da base ou não. Penso no que vai aproximar o Botafogo da vitória. Fico feliz que um processo que foi iniciado lá tem dado frutos esportivos e alguns até financeiros. Me encanta como o Kanu cresceu como homem. O peguei aqui ainda menino, virou homem, cresceu. Ganharam tudo. Brasileiro, Taça Guanabara, OPG, Carioca. Estão colhendo os frutos daquilo que plantaram, tendo oportunidades por méritos. No campo, como falam no futebol da Bahia, não tem moita nem muro. Tem que render.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Esporte
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS