O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   28 de Maio de 2020
Publicidade

Em Bataguassu, toque de recolher vai até dia 5 de abril

Decreto assinado pelo prefeito Pedro Caravina também amplia medidas de enfrentamento ao Covid-19 em âmbito local. 

27/03/2020 - 07h44

Campo Grande

O prefeito Pedro Caravina (Foto: Prefeitura)

Em Bataguassu, o toque de recolher, por causa do Covid-19 (novo coronavírus), terá de ser cumprido até o dia 5 de abril, conforme o Decreto nº 064/2020, assinado pelo prefeito Pedro Caravina e publicado em edição suplementar do Diário Oficial do Município no último dia 23.


O decreto assinado por Caravina, atual presidente da Assomasul, também amplia medidas de enfrentamento ao Covid-19 em âmbito local. 


O documento informa que diante da gravíssima ameaça do Covid-19 e com o objetivo de resguardar o interesse da coletividade na prevenção do contágio e no combate de sua propagação, fica vedada a circulação de pessoas no município das 21 às 5 horas do dia seguinte exceto quando necessária para acesso aos serviços essenciais, deslocamento ao trabalho e entregas delivery, pelo período de 23 de março de 2020 a 5 de abril de 2020, podendo o presente prazo ser reavaliado.


Primeiro caso


Bataguassu registrou o primeiro caso em investigação para o novo Coronavírus no dia 26 de março, através do boletim apresentado pela prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde e Comitê Municipal de Enfrentamento e Prevenção ao novo Coronavírus. O mesmo dado foi divulgado pelo boletim do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.


De acordo com a secretária municipal de Saúde, Maria Angélica Benetasso, o caso suspeito é de uma criança de 1 ano e 8 meses, que esteve hospitalizada no município e teve amostras coletadas para teste de Influenza. O resultado, por sua vez, apresentou negativo para a doença [Influenza].


A secretária explica que todas as amostras coletadas para Influenza estão sendo testadas para Covid-19, de acordo com o protocolo estabelecido pela Secretaria de Estado de Saúde com base em determinações do Ministério da Saúde.


Maria Angélica ressalta que a criança passou por todos os protocolos de saúde em vigor, já teve alta médica, passa bem e permanece em quarentena em sua residência (isolamento).

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS