O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   17 de Julho de 2019
Publicidade

Ferramenta permite cálculo do repasse do duodécimo às Câmaras de Vereadores

O descumprimento até o dia 20 de cada mês ou o repasse inferior à proporção oriunda da proposta orçamentária são considerados crimes

08/01/2019 - 07h57

De Brasília 

Ferramenta permite cálculo do repasse do duodécimo às Câmaras de Vereadores (Foto: Reprodução)

Com a chegada do início do ano, os gestores precisam retomar as obrigações dos municípios com os limites constitucionais legais. 


Um deles trata da obrigação constitucional de fazer os repasses mensais necessários para o funcionamento da Câmara de Vereadores.


A CNM (Confederação Nacional de Municípios) traz orientações aos gestores sobre esse assunto que podem ser acessadas no conteúdo exclusivo do portal da entidade. A entidade disponibilizou uma ferramenta que possibilita o cálculo antecipado do duodécimo.


A obrigação do executivo municipal está prevista nos artigos 29 e 29-A da Constituição Federal de 1988 e no artigo 28 da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).


O descumprimento até o dia 20 de cada mês ou o repasse inferior à proporção oriunda da proposta orçamentária são considerados crimes de responsabilidade pelo prefeito, que ainda pode ter suas contas rejeitadas.


Funcionamento da ferramenta


Na ferramenta disponibilizada pela CNM, o gestor precisa entrar com dados do nome do município. Automaticamente, o sistema identificará a população baseado na última estimativa válida que foi disponibilizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e o respectivo percentual das receitas que deverá ser aplicado com base na Constituição Federal.


O segundo passo é preencher as receitas incidentes que fazem parte da base de cálculo da transferência. Assim, o sistema realizará o somatório e estabelecerá o montante mensal e anual a ser repassado ao poder legislativo a título de duodécimo.


Metodologia 


Segundo a própria regra do duodécimo, o repasse é calculado estabelecendo uma base de cálculo composto pelo somatório da receita tributária e das transferências previstas no §5º do artigo 153 e nos artigos. 158 e 159 da CF/88, efetivamente realizado no exercício anterior.


Sobre este montante é aplicado as alíquotas estabelecidas no artigo 29-A da CF/88 que pode variar entre 3,5% a 7% das receitas com base no número de habitantes do município.


Mais informações podem ser consultadas na Nota Técnica 12/2018 publicada na biblioteca virtual da CNM. Clique aqui e calcule o duodécimo mensal e anual a ser repassado à Câmara de Vereadores em 2019.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Municípios
Colunistas
Ampla Visão
Coluna do Roberto
Raquel Anderson
Enquete
Você acha que a operação Lama Asfáltica vai acabar com algum político ou autoridade na cadeia?
Sim
30.77%
Não
63.46%
Não sei
5.77%
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS