O 1º site político de Mato Grosso do Sul   |   27 de Janeiro de 2022
Publicidade

Simone alerta para os impactos à saúde e para a economia com as queimadas

“Estamos indignados. Pantanal grita por socorro”, diz a senadora

20/09/2020 - 04h01

De Brasília 

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) (Foto: Divulgação)

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) sugeriu que a Comissão Temporária do Pantanal ouça conjuntamente diversas autoridades. Por sua sugestão foram convidados os ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tereza Cristina (Agricultura) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional). 


Ela também propôs que sejam ouvidos, na mesma mesa, o homem pantaneiro, um representante da comunidade indígena, ambientalistas e representantes do agronegócio, da agroindústria e um representante da Coalizão Brasil, para que sejam ouvidos todos os lados conjuntamente. 


“Não adianta dialogarmos com os iguais”, disse durante a reunião remota da Comissão que ocorre nesse sábado (19).


A senadora ainda disse que anualmente há queimadas no Pantanal sul-mato-grossenses e mato-grossenses, mas que este ano os impactos estão muito piores. 


“Nós já saímos da comoção há muito tempo. Não é de hoje que vemos o Pantanal devastado. Mas nunca algo como o que estamos vendo neste momento. O meio ambiente grita por socorro. Nós estamos é indignados de estarmos vivendo este momento sem suporte necessário para a prevenção. É tempo de ação e o recado é que esta Comissão não vai terminar sem dar uma palavra propositiva”, disse.


Simone elogiou a ação do Corpo de Bombeiros e dos brigadistas. Ela ainda alertou para os impactos para a saúde da população e para a economia. Os rios estão secando e há perda de navegabilidade, o que prejudica o escoamento da produção agropecuária.


Amazônia


A senadora Simone Tebet voltou a expressar sua alegria por ver a união, “ainda que pela dor”, de ambientalistas e ruralistas com a criação da Coalizão Brasil em prol da Amazônia. Tebet destacou que o meio ambiente é uno e que os biomas do Pantanal, da Amazônia e da Mata Atlântica estão interligados e o que ocorre em uma área gera consequências nas outras. 


“Há uma convergência de que meio ambiente é vida, e desenvolvimento sustentável é cuidar do meio ambiente e das pessoas que lá moram e precisam tirar o seus sustento, com o desenvolvimento sustentável”, finalizou.

Leia Também
Comente esta notícia
0 comentários
Mais em Política
Colunistas
Ampla Visão
Copyright © 2004 - 2015
Todos os direitos reservados
Conjuntura Online
Rua São Remo, 390
Jardim Vilas Boas, Campo Grande / MS